ÚLTIMAS NOTÍCIAS > Educação e Desporto

Doce Leitura: um dia para reverenciar a literatura em Pelotas

Evento contou com a presença de mais de 1.200 alunos na VI Jornada e IV Jornadinha Literária

Por Luiza Meirelles e Tânia Magalhães 08-11-2018 | 12:03:08

Centenas de trabalhos, pinturas, poemas e histórias preencheram e coloriram o auditório do Colégio Municipal Pelotense, nesta quinta-feira (8), no evento ‘Doce Leitura’, que promoveu a VI Jornada Literária pela manhã e a IV Jornadinha à tarde. A mostra é resultado do engajamento das escolas municipais durante o ano letivo para inserir a literatura na rotina dos alunos, desde a educação infantil até o ensino médio. A atividade é idealizada pela Secretaria de Educação e Desporto (Smed).

A prefeita Paula Mascarenhas acompanhou parte da programação cultural, que contou com apresentações de teatro, música e dança, e a plateia lotada por 1.200 crianças e adolescentes da rede municipal de ensino, de mais de 30 escolas inscritas. Salientando a importância do contato com os livros, a chefe do Executivo Municipal defendeu que a literatura é uma das artes mais fantásticas e poderosas, uma vez que ela cria novos universos e realidades.

Fotos: Gustavo Vara
“Ler nos faz sonhar, entender melhor a vida, os seres e humanos e, consequentemente, nos ajuda a sermos pessoas melhores também”, reforçou a prefeita.

Paula aproveitou a oportunidade para contar uma de suas histórias preferidas da infância e motivar as crianças que ouviram atentas à narrativa e à mensagem final contida na fábula. “Às vezes achamos que estamos perdidos e não temos lugar no mundo, mas todos nós temos um espaço brilhante e merecedor de aplausos para ocuparmos”, incentivou.

O momento de integração entre estudantes, professores e equipes diretivas oportunizou o compartilhamento das práticas pedagógicas desenvolvidas ao longo do ano letivo, com a perspectiva de valorizar os ambientes que proporcionam o letramento e o aprimoramento literário. 

Uma das organizadoras do evento, a supervisora de ensino, Michele Lemões, ressaltou que a convivência com os livros proporciona ao leitor uma bagagem que fará toda a diferença no seu processo de percepção, apreensão e apropriação do mundo. 

"Acreditamos que a construção do conhecimento se dá através da leitura e esta é instrumento que empodera o indivíduo e dá condições para compreender a realidade e atuar na sociedade".
Fotos: Gustavo Vara

Jornada Literária

Nesta manhã, a atividade foi dedicada às turmas do 6º ao 9º ano do Fundamental, na Jornada Literária, enquanto a tarde foi destinada à Educação Infantil e aos anos iniciais. Parte da programação foi acompanhada pelo vice-prefeito Idemar Barz.

“A Educação é o futuro de cada um e a construção do País. Parabéns a todos que colaboraram com este evento, oferecendo imaginação e criatividade nos trabalhos expostos”, afirmou Barz.       
Fotos: Janine Tomberg

O vice-prefeito participou da abertura da Jornada Literária representando a prefeita Paula Mascarenhas, e comentou que Pelotas “respira cultura”, ao se referir ao evento Doce Leitura e à Feira do Livro, em andamento na praça Coronel Pedro Osório.

Idemar chegou cedo ao auditório do Colégio Pelotense, leu alguns textos redigidos por alunos e observou trabalhos artísticos expostos. Entre eles, uma máquina de datilografia chamou sua atenção. No seu pronunciamento, não deixou de fazer referência à procedência da inspiração dos estudantes. “Passado, presente e futuro foram usados de forma criativa”, comentou, reportando-se à evolução dos tempos.

Neste ano, o 'Doce Leitura' não se vinculou a um autor específico, embora a ênfase tenha sido dada a Ziraldo e a Maurício de Souza. 

Foto: Janine Tomberg
“A Jornada e a Jornadinha são importantes porque servem para despertar o interesse e incentivar o hábito da leitura”, disse o aluno do 8º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Cecília Meireles, Ricardo Campos Radtke, que participou como ator em uma das peças teatrais apresentadas.

Todas as escolas inscritas receberam o troféu de participação Doce Leitura. A diretora de Ensino da Smed, professora Loreni Peverada de Freitas Silva, representando o secretário Artur Corrêa, abriu oficialmente o evento e disse que a Jornada e a Jornadinha não são da Secretaria, mas sim de cada escola, professor e aluno.

“A Smed reconhece o trabalho e o desafio diário das escolas e dos professores. A tarefa de humanizar colabora para construir um mundo melhor. O objetivo deste evento é divulgar, dar visibilidade ao que foi feito em cada unidade”, disse a diretora.

      Veja mais fotos no Flickr da Prefeitura.

Tags

doce leitura, jornada e jornadinha, literatura

Carregando 0%