Captação

 

Captação Represa Moreira

A represa Moreira consiste em uma comporta móvel e uma pequena bacia de acumulação de água bruta, que serve unicamente para prover a estação de tratamento Moreira.

  • Ano de construção: 1871
  • Localização: 1,5 Km da estrada para o Morro Redondo e a 20 Km da centro da cidade.
  • Capacidade: 7.500.000 litros de água por dia

Estação de Tratamento Moreira

Em 1874, foram concluídas as obras da Estação de Tratamento de Água da Represa Moreira, iniciando assim o abastecimento de água tratada em Pelotas.

A cidade, na época possuía 15 mil habitantes e o fornecimento era de 2000m3 de água por dia - capacidade inicial da represa, que além de sanar um dos maiores problemas de ordem pública, constituía-se num marco de pioneirismo da então administração municipal. Esta foi a origem do complexo atualmente composto por uma represa de captação e adução, decantadores, filtros horizontais, casa de tratamento, reservatório de água tratada e outros instrumentos que fornecem, hoje, 7 milhoes de litros de água tratada por dia a cidade.

Localiza-se a 1,5 Km da estrada para o Morro Redondo e a 20 Km da cidade de Pelotas.

A represa Moreira consiste em uma barragem com uma pequena bacia de acumulação de água bruta, que serve unicamente para prover a estação de tratamento, passando a água por filtros e tratamento convencional completo.

A ETA Moreira é um cartão postal por sua beleza natural e conservação dos equipamentos de bronze do século passado, como também seu relógio em funcionamento até hoje.

A ETA Moreira alimenta o reservatório R5 e R5T, distribuindo água para os bairros COHAB Guabiroba, Padre Réus e Simoes Lopes, seguindo pela avenida Duque de Caxias até a esquina das ruas Marechal Floriano com Santos Dumont.

O R5T distribui para a COHAB Gotuzzo, parte do Bairro Fragata, Vila Santo Antônio de Pádua e Vila São Jorge, prolongamento da Avenida Cidade de Lisboa até o trevo da BR 116.

Estação de Tratamento Sinnott

Um dos fatores determinantes do progresso de Pelotas, no início do século foi a construção filtros e do reservatório Sinnott, pela Intendencia Municipal. A obra foi realizada entre os anos de 1913/1915. Foi construído para melhorar o sistema de abastecimento de água da cidade que nesta época já se tornava deficitária pois era servida apenas pela ETA Moreira, de reduzida capacidade.

Esta estação recebe água do Arroio Quilombo e do Arroio Pelotas. A tomada de água bruta do Arroio Quilombo é efetuada mediante a utilização de uma barragem de onde começa uma linha de tubos de ferro fundido com 21 mil metros de extensão até a ETA Sinnott, onde a água é tratada. Já a captação de água do Arroio Pelotas é realizada logo após a embocadura do Arroio Pilão, na margem direita junto a uma série de blocos de pedra que ali afloram, com capacidade de recalque de 36.000.000 de litros/dia. O Arroio Pelotas é o que mais fornece água bruta para o SANEP. Ele tem suas nascentes na Serra dos Tapes, no vizinho município de Canguçu vem desaguar no Canal São Gonçalo a 4 Km do Porto de Pelotas.

O local de tomada - captação - de água é situado logo após a embocadura do Arroio Pilão, na sua margem direita junto a uma série de blocos de pedra que ali afloram, sendo que sua capacidade de recalque é de 1,5 milhoes de litros/hora.

A ETA Sinnott alimenta os reservatórios R4T e R8, desta ETA partem seis linhas adutoras para abastecimento dos reservatórios.

A ETA Sinnott abastece os bairros Pestano, Sanga Funda, Areal, Jardim Europa, COHAB Tablada, COHAB Lindóia, Santa Rita de Cássia, Getúlio Vargas e Balneário Santo Antônio.

Estação de Tratamento Santa Bárbara

Esta estação foi construída com o objetivo de reforçar o abastecimento de água potável da cidade, aproveitando as águas da barragem construída com o fechamento do Arroio Santa Bárbara.

Localiza-se a cerca de 3 Km do centro da cidade. As obras da primeira etapa foram concluídas em 1968, e a segunda etapa foi concluída em 1985, cada uma das etapas produz 20 milhoes de litros de água tratada por dia. Sua capacidade total é de 40 milhoes de litros por dia.

A barragem do Santa Bárbara, possui 352 hectares inundados e 359 hectares de proteção. A profundidade da bacia de acumulação é em média de 3 a 4 metros. O volume de água estimado é de 10 bilhoes de litros de água. Tem como finalidade fornecer água bruta por gravidade para a planta de tratamento da ETA Santa Bárbara e para a zona industrial, através de bombeamento.

A ETA Santa Bárbara abastece os reservatórios R7, R10T, R1 e R3T, através de tres linhas de adução.

A ETA Santa Bárbara abastece o Centro, Zona do Porto, Bairro Navegantes, Vila Fátima, Bairro Fragata, Distrito Industrial e Vila COHAB.