Tratamento

 

Para diversos usos domésticos, a água deve ser potável, isto é, inodora, insípida e incolor, com uma certa quantidade de oxigenio dissolvido, ser capaz de dissolver sabão, não deve conter microorganismos patogenicos, não ter acidez, ser agradável ao paladar.

As exigencias da área da saúde são desenvolvidas pelo Departamento de Tratamento que trata a água bruta para o consumo, de maneira convencional. O tratamento da água consiste nas seguintes etapas:

Coagulação e floculação

Nesta primeira etapa adiciona-se o produto coagulante, com o objetivo de formar flocos. O produto usado em cerca de 90% das comunidades é o sulfato de alumínio. Para que se processe uma boa coagulação, necessita-se de uma mistura intensa, conseguida através de uma agitação adequada que tem função de produzir turbulencia. Esta mistura intensa é que assegura uma distribuição uniforme do coagulante na água. O sulfato de alumínio em contato com a alcalinidade natural da água bruta forma o hidróxido de alumínio, responsável pela formação do floco, mais o ácido sulfúrico e gás carbônico, responsáveis pelo caráter ácido da água. A floculação consiste na obtenção de um agrupamento e compactação das partículas em suspensão e no estado coloidal, em grandes conjuntos denominados flocos, o que se consegue através de uma agitação lenta para evitar o rompimento dos flocos adensados já formados.

Com a mistura (coagulação), a floculação influi na preparação da decantação e indiretamente em uma boa filtração. Os flocos formados quanto mais densos, pesados, melhor decantação. Esta etapa tem como objetivo a clarificação da água, com a retirada das partículas em suspensão e dissolvidas na água, através da absorção pelos flocos.

Decantação

É o processo de sedimentação dos flocos já formados, acumulando-se no fundo dos tanques que levam o nome de decantadores, que em geral tem a forma retangular, permitindo a saída da água límpida pela parte superior para os filtros.

Filtração

O leito filtrante consiste em diversas camadas de areia com glanulometria diferentes. Tem como finalidade a retirada dos flocos que passam dos decantadores para os filtros e também a retenção dos microorganismos patogenicos, os quais ficam retidos na malha de areia. Os filtros são limpos diariamente para a retirada da camada gelatinosa que vai colmatando (entulhando) e fazendo com que a capacidade de filtrar fique reduzida. Esta lavagem é realizada com água tratada em fluxo inverso, através de um processo chamado de reversão. Os tipos de materiais usados nos filtros são: areia, seixos, antrácito, cascalho, etc...

Desinfecção, fluoretação e neutralização do PH

A desinfecção é o processo de purificação, cuja finalidade é destruir bactérias patogenicas que podem infectar o homem. As doenças causadas pela água são: cólera, febre tifóide, hepatite, amebíase, febre paratifóide, salmoneloses, etc.

Os produtos mais usados são: gás cloro, hipoclorito de cálcio, etc.

A cloração é utilizada para a desinfecção, mas também para a oxidação do ferro e manganes.

A fluoretação é usada para prevenir cárie dentária, feita através dos produtos químicos como: fluorsilicato de sódio, fluorita, etc.

A neutralização do pH se processa com a dosagem de água de cal, que tem como objetivo neutralizar o pH ácido gerado pela adição do sulfato de alumínio, na etapa inicial do tratamento. Uma água ácida ocasiona irritação na mucosa gástrica e corrosão nas tubulaçoes e uma água alcalina, incrustraçoes (cobrir de crosta) na tubulação de água. O ideal é um pH entre 6,9 e 7,5.

Estas dosagens são realizadas nos reservatórios de cada estação de tratamento de água. A partir daí, temos uma água pronta para o consumo.